• -A
  • +A
  • Favoritos
  • Imprimir
  • E-mail

Exportações de Minas em queda

A crise em alguns países da Europa e nos Estados Unidos ao longo de 2012 provocou queda significativa nas exportações dos principais produtos da pauta de Minas Gerais entre janeiro e outubro, derrubando a balança comercial do Estado no período. A receita com os embarques de minério de ferro, por exemplo, caiu 24,2% nos primeiros dez meses deste ano na comparação com o mesmo intervalo do exercício passado.

A balança comercial detalhada foi divulgada na quarta-feira pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). As vendas externas de minério movimentaram US$ 11,736 bilhões entre janeiro e outubro, contra US$ 15,486 bilhões em igual período de 2011. O insumo é o principal item da pauta mineira e responde por 41,94% do embarques mineiros.

Por outro lado, o volume ficou praticamente estável, com redução de 0,07% na mesma base de comparação. No acumulado deste ano até outubro as exportações de minério totalizaram 133,062 milhões de toneladas, ante 133,162 milhões de toneladas em 2011.

A disparidade é resultado da queda significativa dos preços do insumo siderúrgico neste ano, principalmente no terceiro trimestre, quando chegou a ser negociado por US$ 85 a tonelada, menor patamar verificado desde 2012. Em novembro, a commodity voltou ao patamar de US$ 120 a tonelada, porém está abaixo do registrado no início de 2012, quando estava contada em aproximadamente US$ 140 a tonelada.

As vendas externas de café registraram queda de 32,9% entre janeiro e outubro em relação ao mesmo período do ano passado. A receita com os embarques do grão somou US$ 3,074 bilhões, contra US$ 4,585 bilhões nos primeiros dez meses de 2011. Em volume, houve decréscimo de 22,1%, passando de 969 mil toneladas para 755 mil toneladas. A commodity agrícola responde por 10,9% das exportações mineiras.

O ferronióbio, produzido pela Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), em Araxá (Alto Paranaíba), apresentou queda de 5,2%. No acumulado de dez meses as exportações movimentaram US$ 1,368 bilhão, ante US$ 1,444 bilhão em 2011. Foram embarcadas 53,721 mil toneladas, contra 55,084 mil toneladas no exercício passado, queda de 2,4%.

Entre os quatro principais produtos exportados por Minas Gerais, somente o ouro conseguir apresentar incremento. A movimentação atingiu US$ 1,325 bilhão no acumulado até outubro. O resultado é 11,4% superior ao verificado no mesmo intervalo do ano passado, quando atingiu US$ 1,189 bilhão.

As importações também estão em baixa em 2012. A hulha, principal produto comprado por Minas Gerais no mercado internacional, verificou retração de 30,8% nos primeiros dez meses de 2012 em relação ao mesmo período de 2011, passando de US$ 890,928 milhões para US$ 616,565 milhões. O insumo é utilizado pela indústria siderúrgica, que atravessa um momento adverso no país.

As exportações mineiras geraram receita da ordem de US$ 27,892 bilhões entre janeiro e outubro, contra US$ 34,160 bilhões no mesmo período de 2011, retração de 18,1%. Já as importações passaram de US$ 10,432 bilhões para US$ 9,923 bilhões.

Com isso, o superávit da balança comercial atingiu US$ 18,059 bilhões no acumulado do ano. O resultado é 23,9% inferior ao verificado entre janeiro e outubro do exercício passado, quando somou US$ 23,729 bilhões.

Fonte: Instituto do aço
Sobre a Decafer (www.decafer.com.br): há 26 anos no mercado, a Decafer é uma empresa de decapagem química com sede em São Paulo capital e planta industrial moldada para atender ao setor metalúrgico de todo o país. Guiada por altos padrões de qualidade e tecnologia, a Decafer desenvolveu métodos únicos no Brasil para a decapagem de tubulações e atuação especializada em decapagem de chapas e aço em geral.
  • Voltar